Quem sou eu?

Minha foto
Descubra-me depois que adentrar na minha poética.

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

SIM!

Sim! Palavra primeira, palavra de ordem, que permite, que concorda, que confirma, que autoriza... 
Sim! Palavra para ser dita primeira, porque primeiro é preciso permitir-se, expor-se e depois aventurar-se. 
Sim! Porque precisamos nos deixar viver e dizer Sim! para a existência, para as oportunidades, para as experiências (as quais reconheceremos boas ou ruins, se dissermos Sim!) 
Sim! Porque amar e sofrer coexistem, porque ser feliz ou triste é necessário, porque sou humana e quero que a vida me invada com todas as suas sensações... Sim! Sim! Sim!
Sim! Para a aventura de escrever, para a loucura de amar, para a felicidade de doar-se, para a delícia (ou amargura) de conhecer e provar (tudo e o outro). 
Sim! Para digitalizar meus sentimentos e sentidos, para me fazer moderna e antenada... 
Sim! Para os amores de ontem, de hoje e de sempre, porque são amores e são eternos... 
Sim! Para você, para mim, para nós... Sim! Sim! Sim! 
Sim! Para a excitação, para a penetração, para o gozo de estar e de ser... 
Sim! Para as descobertas pessoais e coletivas, para os livros e aqueles que nos ensinam, para a solidão em momentos de recolha e conexão nos momentos de partilha. 
Sim! Porque Sim! é deixar-se sair da caverna, é colher do mundo o que o mundo tem... 
Sim! Porque Não! foi feito para os medrosos, para os sem coragem, para os que não querem saber quem são... 
Sim! Palavra  necessária para o contato, para o abraço, para o sexo, para o amor... Sim! 
Sim! Para deixar o vampiro entrar e sugar seu sangue, e alimentar sua noite de vida eterna... 
Sim! Para que a Bela possa reconhecer o Belo por trás da Fera, para que os casais acreditem que estarão juntos o resto de suas vidas... até que a morte os separe... Sim!
Sim!... Porque quando estivermos velhos, nos dirão muitos Nãos!, porque a vida já nos disse muitos Nãos!... Porque Sim! é palavra que nos liberta, que nos faz próximos, que nos torna acessíveis para o outro, os outros... 
Quero que o mundo me conheça pelos Sins! que direi, pelas permissões que concedo a mim mesma de permitir que o mundo me reconheça, assim como eu a ele. 
Sim! Quero dizer Sim!  para mim e para você que ainda não sabe quem sou. 
Peço que guarde um Sim! para dizer-me quando conhecer-me e reconhecer que pode me amar... perdidamente, completamente, efusivamente, porque entre nós a palavra de ordem será SIM!

Bia Crispim