Quem sou eu?

Minha foto
Descubra-me depois que adentrar na minha poética.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

AMÁVEL

Quando um soneto quis desprender-se do pincel...

Na ânsia de querer amar você
Fechei meus olhos e deixei nascer
Uma maneira nova de sonhar
Uma vontade imensa de se dar

Amei compulsivamente seu corpo
E deixei você consumir o meu
Então, você cansado, exausto, morto
Fez dos meus braços morada dos seus

Assim perdemo-nos nessa farândula
Na esperança louca de entendermos
Todo esse sentimento que nos anula

E sem saber por que nos queremos
Amável seremos uma só pessoa
Deixando-nos viver esse amor à toa.




Bia Crispim

Nenhum comentário:

Postar um comentário