Quem sou eu?

Minha foto
Descubra-me depois que adentrar na minha poética.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

CAJU

A Renato de Melo Medeiros, artista, amigo, exemplo, ímpar.




Travo na língua
O doce macio
Perfumado doce
Ranço
De caju

Fruta exótica
Que não é fruta
Que é carne
E sumo
Caju

Suco
Doce
Carne
E castanha
Polpa de caju

Caju de Natal
De Dorian Gray
De Renato de Assú
De Lagoa Nova
Caju

Exala seu cheiro forte
Enriquece o sangue
De ferro
De ferrugem
Cor de caju

Caju alimento
Caju doce
Caju sobrevivência
Castanha que vira 
Pão

Caju cachaça
Caju sal
Caju samba
Risos e conversas
Caju da feira e do bar

Caju Potiguar
Papa-jerimum
Papa-caju
Cajueiro
Caju

Folhas secas ao chão
Outono do sertão
Sombra, aroma
Cajueiro
Caju

Caju e castanha
A música
O pandeiro
A embolada
A festa do caju

Caju
Meu Rio Grande
Meu litoral
Meu agreste
Meu sertão

Caju da minha terra
Da minha infância
Dos meus sabores
De muitas cores
Caju

Bia Crispim

2 comentários:

  1. O caju é a 'fruta' mais entidade,
    castanha e cajú são símbolos das minhas individualidades...

    Esperando os scripts.Bjusss

    ResponderExcluir
  2. Amigo, mandarei em breve... Preciso sentar com vc para escolhermos os textos... Depois do vestibular estarei aí em Assu... Beijos...

    ResponderExcluir