Quem sou eu?

Minha foto
Descubra-me depois que adentrar na minha poética.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

MEU SOM(N)



A Alisson Arruda, descoberta de ser humano lindo e doce que me encantou como poucos.

Branquinho, dentes, pele e alma
Meu Son, som, Sonson
Invadiu o espaço
Tomou conta dos ouvidos
Dos poros
Do coração

Meu Som(n)
Tranquilo, romântico, sensível
Tocou
Ritmo doce, bossa
Me tirou da fossa
Doce som, Son, do bom

Pra teclar, pra tocar
Pra por na boca
Sentir na língua
Pra pra pra
Som frenético, pulsante
D A N Ç A N T E
Arrebatou-me
Me pôs na pista
Som, do bom, Sonson

Dancei
Pulei
Brinquei
Cantei
Ri
De mim, de ti, do som
Sonson, do bom

Misteriosas notas
Saídas do cós da calça
Um headphone pra por no ouvido
Pra por no quadril
E ouvir e tocar e sentir e mexer e dançar

Dó Ré Mi Sol Som(n)
Sonson
Branquinho, limpinho
Sem ruído ou rancor
Melodioso, gostoso
Com cheiro bom
Meu Som(n), Sonson

Um ritmo, um átomo
Íntimo
Abraçados o som pulsa
Afastados o som pulsa
Um de emoção, outro de saudade

Apaziguador, mediador
Baixinho pra ouvir
Alto pra curtir
Meu Som(n)
Se espalha, toma conta
Da pista, da rua, da lua, do espaço

Fá Sol Lá
Faz sol lá onde meu Som(n) tocar
Faz música, esperança, bonança
Faz-me criança
Mulher, mais mulher
Diva!

Meu Som(n)
Sonson
Me faz Diva
Na cama
Na pista
Na rua
No cinema
No barzinho
No show
Ele é meu show
Meu Som(n), Sonson

Eu, a Diva iluminada
Sem Som(n)
Sonson
Apagada

Palavras não expressam
Sentimentos também não
Só o som, só som, Sonson
A música nos explica
Cada letra, cada verso
Pedaços
De mim
Te ti
De nós, meu Som(n).

Bia Crispim

Nenhum comentário:

Postar um comentário