Quem sou eu?

Minha foto
Descubra-me depois que adentrar na minha poética.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

EM CADA VERSO

Em cada verso
Uma eternidade
De tudo aquilo
Que morre comigo
Que não mais me pertence
Pois agora é teu
Se assim o quiseres

Descartada numa gaveta
Guardada no coração
Minha ideia é palavra
Que nunca foi minha
Que sempre foi minha 
E sempre será

Em cada verso
Um pedaço
Fragmento
Fagulha
Estilhaço
Do que fui
Do que sou
Do que quero

Acorrentada à liberdade
De falar e escrever
Me faço
Meus limites ultrapasso
E chego até ti
Como um sopro
Uma brisa
Ou um vendaval

Em cada verso
Expando minh'alma
Cuspo fora meus dissabores
Vomito o erro que consumi
Exponho minha fragilidade
E minha fortaleza
Sou paradoxo

Entre alma e carne
Entre amor e ódio
Entre certeza e dúvida
Entre mim e ti
Um mundo
E um abismo

Em cada verso
A música
A rima
E o sentimento
A reflexão de um tempo
Que trago comigo
Mas que não é só meu

Por isso
Toma-o
Consuma-o
Divida-o comigo
E se for humano
Chore e ria
Como faço agora

E escreva um verso
Pra acalmar teu ser
E talvez, dar paz
Ao meu


Bia Crispim

Nenhum comentário:

Postar um comentário