Quem sou eu?

Minha foto
Descubra-me depois que adentrar na minha poética.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

BODAS DE AMOR

Vinícius de Morais disse, um dia: "Mas que seja infinito enquanto dure."
Falava ele sobre o amor.
Amor, palavra sublime, repleta de significado e tão real no ninho em que fomos criados.
Amor que existe entre homem e mulher, entre pai e filhos, entre mãe e filhos, entre filhos e filhos.
Amor que nos faz família, que nos une, que nos completa. 
Amor que nos é ensinado na forma de respeito e tolerância, de aconchego e bondade, de doação e união.
Amor que vem embalar nossas noites na varanda com papai tocando suas modinhas e serestas, acompanhadas ao som doce e suave da voz de mamãe.
Amor que se apresenta na forma de mesas fartas espalhadas pela casa pra alimentar todos de um vez só.
Amor que vem na oração diária e contínua de proteção, dos terços rezados em família.
Amor que vem da cama grande em que nos aninhamos todos num só momento.
Aprendemos a amar todos os dias em nossa casa. 
Nossos professores, nossos exemplos, nossos pais transbordaram o tempo e hoje, 50 anos depois, continuam a nos orientar sob o julgo do amor.
Amor que as gerações futuras transmitem como legado desse um clã. 
Comemorar esse momento tempo é uma celebração, não a uma relação de duas pessoas,  mas sim, a celebração de um sentimento único, puro e verdadeiro que se mantém, que se propaga, que se transmite para os 6 filhos, os 11 netos, as 2 bisnetas. Que se transmite na sobrinha-filha, na sobrinha-neta. Nos agregados todos que adotaram esse lar como seus.
Pai e mãe de muitos, além da carne. Pai e mãe de espírito. Casal exemplo em que o amor  faz-se e dá frutos.
Casal amor em quem Deus faz-se presente e manisfesta-se como sentimento bonito e contagioso.
União que há 50 anos transmite o ensinamento maior do Criador: o amor.
50 anos para ser lembrado como resultado da temperança divina, que só o amor é capaz de dar.
"Mas que seja infinito enquanto dure", disse o poeta. 
Sim, que assim o seja. Que seja infinito, porque amor não se acaba. Que dure mais do que o tempo terreno nos permitir, porque amor é imortal e transmissível.
Amor, infinito e duradouro. Eis o grande legado dos nossos pais.
50 anos. Bodas de ouro. Porque devemos coroar esse momento com glória. 
Com o ouro que não se compra, porque não é dourado nem é metal. Porque não é o ouro dos reis, da riqueza, nem do poder.
Ouro este que é sentimento glorioso, rico e poderoso, presente de Deus aos homens, tão difícil de encontrar ultimamente.
Parabéns, papai e mamãe, pelas bodas, pelo ouro em forma de sentimento, em forma de amor. 
Parabéns pelos 50 anos de lição no amor e para o amor.
Parabéns pelo amor dos dois.
E obrigado pelo amor que nos presenteastes, hoje e sempre.


Bia Crispim (em nome de todos os filhos, netos e bisnetas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário